Últimas Notícias

Foto de parto postada em grupo de mães e pais é denunciada e apagada pelo Facebook

Foto de mulher que deu à luz chocou
Foto de mulher que deu à luz chocou
Foto: Leonardo Mayorga / Reprodução
veposcedoca

A foto de uma mulher contemplando o bebê que acabara de dar à luz levantou polêmica nos Estados Unidos. A imagem foi postada na semana passada em um grupo fechado no Facebook que trata de maternidade e paternidade. Mas, para surpresa da mãe, ela foi denunciada e teve a foto apagada da rede social. A história foi contada pela revista NY Magazine.

Na imagem, Francie (que teve o nome real mudado para manter sua privacidade) aparece ajoelhada sobre a cama, extasiada pela chegada de sua filha mais nova.

"Nós planejamos um parto em casa para a nossa segunda filha. Ela veio muito rápido, menos de uma hora depois que eu percebi que estava em trabalho de parto, e ninguém chegou à tempo. Eu gritei para o meu marido pegar a câmera quando estava prestes a empurrá-la para fora. Ele tirou duas fotos", lembrou a mulher.

A foto foi postada no Facebook em comemoração ao aniversário de um ano da filha de Francie. No entanto, o registro de um momento tão natural na vida de muitas mulheres incomodou membros do grupo. Em menos de uma hora, a rede social apagou a publicação.

"Um amigo me mandou uma mensagem dizendo que a imagem havia sido denunciada e eu estava bloqueada", conta Francie, que mora em Nova York e é instrutora em um curso de lactação para gestantes. "O Facebook me mostrou a foto informando que violou normas de nudez. Em seguida, me mostrou outras fotos minhas que supostamente também continham nudez. Nas duas eu aparecia trocando o meu bebê, totalmente vestida", contou.

A política anti-nudez do Facebook é bastante contundente. Todas as imagens são tratadas da mesma forma, em todo o mundo e a publicação em um grupo privado não fez diferença. De acordo com a empresa, genitais e nádegas são proibidos, assim como os seios femininos mostrando os mamilos. Entretanto, são permitidas fotos de mulheres que participam de campanhas de amamentação ou mostrando cicatrizes de mastectomia. Essa última parte foi adicionada em junho de 2014, em resposta à indignação dos usuários como parte da campanha conhecida como #freethenipple.

Apesar das normas do Facebook, a NY Magazine questionou o posicionamento da rede social e da pessoa que denunciou a foto. À revista, a dona do grupo fechado NYC Birth, Nora Painten, se disse indignada com a história.

"Estes não são atos sexuais. Isto não é pornografia. Espero que mães postando suas fotos de parto (que estão muitas vezes entre seus bens mais preciosos) chamem a atenção para esta questão e permitam que outras compartilhem suas imagens alegres de afirmação da vida. Sem medo de serem envergonhadas e censuradas", declarou Painten.

Nenhum comentário

REGRAS DE POSTAR SEUS COMENTÁRIOS;

- Comentários que agredirem outras pessoas serão excluidos
- Deixe sua opinião e evite palavras de baixos escalão