Esfaqueador de Bolsonaro será levado para hospital em Barbacena

Adélio bispo durante audiência no presídio federal em Campo Grande. (Reprofução/TV Globo)

Adélio Bispo está unidade prisional de Campo Grande e teve a transferência determinada em março

O Hospital Psiquiátrico de Custódia Jorge Vaz em Barbacena (MG) será o destino de Adélio Bispo, o homem que ficou conhecido no País todo depois de esfaquear o presidente Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral de 2018. A decisão, do juiz Bruno de Souza Savino, da 3ª Vara de Justiça Federal de Juiz de Fora.

A determinação é em cumprimento a despacho anterior do juiz Dalton Kita Conrado, da 5ª Vara da Justiça Federal, corregedor do presídio federal de segurança máxima em Campo Grande, para onde Adélio foi transferido após o atentado, em setembro de 2018.

O prazo estipulado para a permanência do preso na unidade penal de Campo Grande vence em 2 de abril.

Depois do despacho do juiz corregedor do presídio, do início de março, a Defensoria Pública da União e o Ministério Público Federal foram favoráveis à transferência.

O portal G1 informou que a data em que irá ocorrer a transferência de Adélio do presídio de Campo Grande para Hospital Psiquiátrico de Custódia Jorge Vaz não foi informada.

Doença psiquiátrica - Adélio Bispo foi diagnosticado com transtorno delirante persistente em maio de 2019 e considerado inimputável. Por isso, conforme a decisão da Vara Federal de Campo Grande, ele não deve permanecer em um presídio, unidade prisional destinada ao encarceramento de pessoas, sem espaço ou estrutura para o tratamento adequado.

No documento ao qual o G1 teve acesso, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerias (SES-MG) afirmou que o estado dispõe apenas do Hospital Psiquiátrico de Custódia Jorge Vaz, em Barbacena, para casos semelhantes.

Apesar do parecer do MPF e da DPU para a transferência de Adélio do presídio para um hospital psiquiátrico, o juiz Bruno Savino expressou no ofício que acredita que o preso será exposto a perigos no novo local. "Permanece a convicção deste juízo quanto ao perigo que estará exposto Adélio, na hipótese de ser inserido em hospital psiquiátrico judicial, onde internos convivem durante o período diurno entre si e os níveis de segurança são evidentemente baixos.", ressaltou Savino em trecho da decisão.

   Fonte: Campo Grande News

0 Comentários