Suspeito de matar e esquartejar jovem de 17 anos é considerado foragido

Resultado de imagem para foto de Ketley Estefany Silva

Conhecidos e amigos de Ketley Estefany Silva Nascimento, de 17 anos, estão chocados com o assassinato da jovem. Policiais localizaram o corpo dela na Quadra 77 do bairro Jardim Pérola da Barragem II, em Águas Lindas (GO), na tarde de segunda-feira (20/1). O ex-namorado, de 23 anos, é o principal suspeito de matá-la. Ele é considerado foragido da Justiça. 

Em entrevista ao Correio, uma das amigas de Ketley, Fernanda Silva, 17, disse que conversou com a jovem pela última vez na quinta-feira passada (16/1). Segundo ela, a jovem, que nasceu em Paratinga (BA), havia se mudado para a Cidade Ocidental (GO), para a casa de uma tia. “Depois de alguns meses, ela voltou para Bahia, para ficar com a mãe, mas voltou em seguida. Quando conversamos na semana passada, ela me contou que estava morando em Águas Lindas com o namorado. Mas que voltou para a tia, porque ele havia ameaçado ela”, contou. 

Este é o primeiro caso de feminicídio do ano registrado no Entorno. Agentes da delegacia de Águas Lindas encontraram o corpo da vítima esquartejado dentro do congelador da casa do ex-namorado. Segundo investigações, o suspeito, que é açougueiro, cortou o corpo da jovem com uma faca de 30cm de comprimento e, em seguida, colocou as partes no freezer. “Testemunhas relataram que o casal se conheceu pela internet. Sabemos que ela veio da Bahia para morar com ele, em Águas Lindas. Os dois mantinham um relacionamento pouco mais de um mês”, detalhou o delegado à frente do caso, Danilo Victor Nunes.

De acordo com Fernanda, a vítima saiu da Cidade Ocidental em direção a Águas Lindas no sábado (18/1). “Ela (Ketley) falou para uma uma amiga que iria para a casa de um tio. Ela nunca foi de comentar os problemas pessoais, mas eu sabia que havia algo de errado. A mãe dela ligava todos os dias para saber como estava, sempre preocupada”, disse. 

Foragido

O ex-namorado de Ketley é considerado foragido. A Justiça concedeu o mandado de prisão preventiva ao jovem, conforme informou ao Correio, o delegado Danilo. “A polícia está escutando outras pessoas. Até ontem (21/1), colhemos três depoimentos. São pessoas que podem esclarecer como a vítima foi parar na companhia do autor e o crime”, ressaltou. 

Segundo o investigador, a apuração segue agora na tentativa de saber se houve a participação de uma outra pessoa no crime. “Estamos apurando se o suspeito teve ajuda, até pela forma que ela foi esquartejada. Mas não é impossível que ele tenha feito sozinho, pois, ele é açougueiro. Acreditamos que a intenção dele era se livrar do corpo, até por isso, cortou em partes pequenas. Manteve o cadáver congelado há um tempo e, certamente, retornaria”, afirmou. 

De acordo com o delegado, a denúncia partiu do próprio pai do acusado. “Ele (pai) procurou a Central de Flagrantes da cidade no mesmo dia do crime dando a notícia de que o filho teria matado a namorada, mas não informou detalhes e nem o paradeiro dele.”

   Fonte: Correio Braziliense

0 Comentários