Justiça do Maranhão determina que assassino de pastor permaneça em liberdade


O Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA) decidiu por unanimidade, segunda-feira (02), que Saulo Pereira Nunes, assassino confesso do pastor evangélico Mackson Costa, permanecerá solto.

A decisão foi da 3ª Câmara Criminal do TJMA, composta pelos desembargadores Josemar Lopes Santos (relator do caso), Tyrone José Silva e João Santana Sousa. Ainda na manhã desta segunda-feira, a família de Mackson fez uma manifestação, em frente ao Palácio da Justiça, no centro de São Luís, pedindo justiça no caso.

No dia 5 de novembro a Justiça concedeu uma liminar permitindo a soltura temporária de Saulo Pereira Nunes. Na peça jurídica, o relator e desembargador Josemar Lopes Santos, responsável pela expedição de soltura, relembrou o que dispõe o art. 282, § 6º, do Código de Processo Penal: “a prisão preventiva será determinada quando não for cabível a sua substituição por outra medida cautelar”. Pelo disposto, o desembargador afirmou que o decreto prisional não se sustenta.

O crime

O crime aconteceu no dia 11 de outubro, quando a vítima desapareceu após sair do trabalho. Antes de localizar o corpo, a polícia encontrou o veículo da vítima no dia 13 de outubro na Avenida 7, no bairro Maiobão, Paço do Lumiar, próximo ao endereço do assassino.

Saulo matou o pastor Mackson a facadas e enterrou o corpo no quintal de sua casa. Ao ser preso em flagrante, ele confessou o crime, justificando que o pastor teria um caso com sua esposa

Segundo informações da Polícia Civil, por meio da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa – SHPP, Saulo Pereira confessou o crime e disse que teria matado Mackson, pois o mesmo tinha um caso com sua mulher.

Informações Blog do Gilberto Lima via Portal CN1 News

0 Comentários