Em depoimento, Cabral admite compra de votos no processo que elegeu Rio para sediar Olimpíada


O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (MDB) admitiu durante depoimento prestado nesta quinta-feira, 4, que intermediou a compra de votos para que a cidade do Rio de Janeiro recebecesse os Jogos Olímpicos em 2016.

Em reportagem divulgada pela UOL, o portal afirma que Cabral teria dito durante o depoimento concedido ao juiz Marcelo Bretas, que os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Michel Temer (MDB) tinham conhecimento do processo ilícito. 

Ainda segundo a reportagem, o ex-prefeito revelou que nove dos 95 membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) foram comprados por US$ 2 milhões, cerca R$ 7,58 mi cada. Entre os nome estão o de dois ex-atletas olímpicos, ex-nadador russo Alexander Popov quatro vezes campeão olímpico e o o ex-saltador com vara Serguei Bubka.

O depoimento indica que o depósito teria sido feito em 2008, no exterior, pelo empresário Arthur Soares, o Rei Arthur, ao ex-presidente Associação Internacional de Federações de Atletismo, Lamine Diack, que distribuía a propina aos comprados.

Sobre outras figuras políticas saberem do esquema, Cabral disse que eles teriam ficado sabendo às vésperas do anúncio da sede.

“Lula, Temer e Osório souberam na véspera da apresentação final do Brasil como sede da Olimpíada. Nervoso, tive uma crise de choro, de ansiedade. Lula me perguntou o porquê da minha ansiedade na frente dos demais e eu contei que já havia feito este esforço. Ele respondeu: ‘Se já está feito, eu não quero saber. Se acalme”, afirmou.

Ao UOL o ex-prefeito Eduardo Paes negou as denúncias de Cabral. As defesas de Temer e Lula ainda não se manifestaram publicamente.

0 Comentários