O perde-ganha de ex-craques da seleção nas urnas

Romário foi candidato ao governo do Rio de Janeiro, mas não passou para o segundo turno

Por vários Estados e por diversos cargos diferentes, ex-jogadores da Seleção brasileira, alguns deles campeões do mundo, travaram uma disputa com as urnas no domingo, 7 de outubro. Romário não conseguiu chegar ao segundo turbo do Rio como candidato a governador. Mas continua seu mandato no Senado. Seu parceiro de ataque no Mundial de 1994, Bebeto, teve mais sorte e se reelegeu deputado estadual pelo Rio.

No time de eleitos, há dois goleiros com passagem pela Seleção: Danrlei, ex-Grêmio, e João Leite, ex-Atlético-MG. Os dois foram reeleitos – o primeiro como deputado federal e o outro como deputado estadual.

Esse time de craques na urna pode contar ainda com Deley, ex-ídolo do Fluminense. Ele conseguiu sua recondução à Câmara Federal pelo Rio. Já na Bahia, Bobô, o xodó do Tricolor local, também mandou bem e alcançou a reeleição na Assembleia Legislativa do Estado.

A sorte, porém, não esteve com outros nomes que encantavam os torcedores. Ademir da Guia, cuja história está intimamente ligada ao Palmeiras, Marcelinho Carioca, adorado pelos corintianos, e Zé Carlos, ex-lateral da Seleção, ficaram no meio do caminho ao tentar vaga na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Destino idêntico ao do ex-atacante Luizão, pentacampeão do mundo em 2002. Ele se candidatou a deputado federal por São Paulo e não conseguiu se eleger.

0 Comentários