Estudante de Medicina e mais três são detidos com LSD e ecstasy na fronteira


O estudante de Medicina, Alexandre Antonio da Conceição, 22 anos, e mais três pessoas foram detidos acusados de manter um suposto ponto de venda de entorpecentes e drogas sintéticas em um estúdio de tatuagem. As detenções ocorreram no fim da tarde de terça-feira, 17, na região da fronteira, nas cidades de Brasileia e Epitaciolândia.

Com o grupo, foram apreendidos 23 adesivos de LSD e 11 comprimidos de ecstasy. No suposto ponto de venda de drogas, em Brasileia, também foram encontrados dinheiro, material para embalar maconha e a droga em forma de barra, além de uma plantação de maconha, com pelo menos 12 pés. Na geladeira do imóvel, teria sido apreendida cocaína em barra.

Além de Alexandre, o nome dos outros três acusados, segundo o 10º Batalhão da PM do Alto Acre, são: Júlio Cesar Santos Ribeiro, 30 anos, Alexandre Antonio e Eva Luana Rocha Silva.

A detenção do acadêmico e dos demais acusados se deu através de uma denúncia anônima, alegando que o grupo praticava tráfico de drogas nas duas cidades do Alto Acre.

A polícia, primeiro, abordou o acadêmico de Medicina em Epitaciolândia. Ele estaria portando um saquinho com papeis picotados e pílulas amarelas. Os policiais indagaram o que eram as substancias, e o estudante teria respondido que seriam analgésicos.

A denúncia anônima também o acusava de ter uma plantação de maconha, então, a polícia o conduziu até o local indicado. Lá, encontrou vários jovens e um adolescente que faziam tatuagens. Os policiais também se depararam com os outros três suspeitos, que teriam tentado esconder os demais materiais ilícitos.

O quarteto foi incriminado por tráfico de substâncias entorpecentes. Mas nenhum deles ficou preso. Todos foram encaminhados para a delegacia de Epitaciolândia e liberados depois de serem ouvidos pelo delegado de plantão.

As abordagens e detenções foram realizadas pelo Grupo de Intervenções Rápida e Ostensiva (Giro) do 10º Batalhão da Polícia Militar do Acre.

0 Comentários