Em Foz, vereadora vai assumir a prefeitura até que haja novas eleições

 | Reprodução


A vereadora Inês Weizemann (PSD) foi eleita a nova presidente da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, no Oeste, na tarde deste domingo (1º). Até que a situação política da cidade seja definida, ela automaticamente assume interinamente o cargo de prefeita – o candidato mais votado nas eleições de outubro, Paulo Mac Donald (PDT) teve a candidatura impugnada.

Muitos moradores acompanharam a sessão, que contou com a participação de dez dos 15 parlamentares eleitos. Isto porque os outros cinco vereadores foram presos durante a 5ª fase da Operação Pecúlio, da Polícia Federal. A acusação é de que o grupo teria recebido dinheiro em troca de apoio político, além da indicação de familiares para ocuparem cargos no Executivo e em empresas terceirizadas contratadas pelo município.

Em seu discurso, Inês da Saúde – como é popularmente conhecida – disse que nunca havia se imaginado na cadeira de prefeita da cidade e prometeu ouvir as reclamações da população. “Eu não serei prefeita sozinha. Eles (os demais vereadores) irão governar comigo. Vou trabalhar com todas as minhas forças para reconstruir a nossa cidade”, destacou.

A nova Mesa de Diretora foi aprovada por nove dos dez vereadores presentes e será composta ainda por Rogério Quadros (PTB), vice-presidente (que deve presidir interinamente a Casa), Jeferson Brayner (PRB), 2º vice-presidente, e os secretários Elizeu Liberato (PR) e Celino Fertrin (PDT).
Indefinição

Após a impugnação da candidatura de Paulo Mac Donald (PDT) – o mais votado no pleito – o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já determinou novas eleições para prefeito. Fazem parte da justificativa condenações por improbidade administrativa e enriquecimento ilícito enquanto ocupou o cargo nas gestões entre 2005 e 2012.

Ainda não há previsão para a nova votação em Foz, mas o TSE já divulgou possíveis datas para eleições suplementares neste ano: 15 de janeiro, 5 de fevereiro, 12 de março, 2 de abril, 7 de maio, 4 de junho, 2 de julho, 6 de agosto, 3 de setembro, 1º de outubro, 12 de novembro e 3 de dezembro.

Nas urnas, Ghisi recebeu 58.163 votos, vencendo uma disputa acirrada com o deputado estadual Chico Brasileiro (PSD), que totalizou 54.488 votos. Phelipe Mansur (Rede) ficou na terceira colocação com 23.572 votos, seguido por Sérgio Barros (PSC), com 1.492 votos e Túlio Bandeira (Pros) com 721 votos.

0 Comentários