Ex- BBB aparece segurando armas e pode ser enquadrada por apologia

Vanessa expões armas em rede social(Imagem:Reprodução)
Vanessa expões armas em rede social

Vencedora da 14ª edição do “Big Brother Brasil”, Vanessa Mesquita se apresentou na boate paulistana The L Club, na noite do último sábado (28/06), com sua amiga Clara, também finalista do reality show. Em seguida, a ex-BBB posou para uma foto com duas armas supostamente no camarim da boate. Na imagem, Vanessa aparece apontando um revólver para a câmera e outro para sua própria cabeça.

A foto que vem circulando pela internet esses dias, tem causado grande repercussão. Alguns comentários alertaram que ela poderia estar cometendo um delito ao exibir as armas. De acordo com o advogado criminalista Marcelo Souza, a ex-sister pode ser enquadrada no artigo de apologia ao crime por uso indevido.

“Dependendo dos trejeitos da imagem, a pessoa pode ser configurada no crime de apologia, de acordo com o artigo 286 do Código Penal Brasileiro. O porte ilegal de armas também é crime, segundo o artigo 12 da lei 10826/03 do Estatuto do Desarmamento.”

Vanessa declarou que o intuito da imagem não foi agredir ninguém. “Todo mundo é adulto o suficiente para entender que aquilo é apenas uma brincadeira. As pessoas deveriam se preocupar mais quando um cachorro fica acorrentado mais de 24h o que é um crime e muita gente não sabe. É muita hipocrisia! Quando o idoso entra no ônibus e não tem um lugar para sentar, isso é um crime! As pessoas não olham o próprio umbigo”, esbravejou.

A moça que não tem porte de armas, afirma que os revólveres são de brinquedo e que pertencem a dois amigos. “Estávamos apenas brincando, tirando fotos e todo mundo faz isso. Tem campanhas de grande grifes em que aparecem pessoas segurando armas. Acho que a gente tem de se preocupar em prender ladrão, quem maltrata criança e animal ao invés de se preocupar com essas besteiras.”

O advogado adverte que existem decisões jurisprudenciais, de tribunais diferentes, que dizem que armas de brinquedo configuram crime. “Isso é muito parecido com o caso do jogador Adriano, em 2010, quando ele apareceu segurando uma metralhadora. A pessoa pode ser enquadrada, da mesma forma, no crime de apologia ou incitação, que está no artigo 285 do Código Penal. Ninguém sabe que é de brinquedo, então você está incitando as pessoas”, esclarece.


0 Comentários