Evangélicos rejeitam coronelismo gospel na Assembleia de Deus…

A Bíblia e o voto devem ser questões pessoais


O segmento evangélico de São Luís reagiu com indignação ao manifesto assinado pelo presidente da Igreja Assembleia de Deus, pastor José Guimarães Coutinho, que impõe o “voto de cabresto” no prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

Espécie de coronel gospel, há 20 anos no comando da AD, Coutinho tenta reviver uma prática já condenada pelos próprios fieis da igreja: a transformação dos templos em curral eleitoral

E a reação de internautas ao post “Para impedir derrota, Edivaldo apela para o coronelismo gospel…” mostra o avanço da juventude evangélica contra lideranças que insistem em manter práticas ultrapassadas.

O comentarista Magno Lanois, por exemplo, prega a liberdade dos membros para escolher seus candidatos a cargos eletivos.

– Os membros da Assembleia de Deus são livres pra votar pra quem achar melhor – afirmou Lanois.

Para a leitora identificada por Ana, a ação é uma “apelação do prefeito Edivaldo”.

0 Comentários